quarta-feira, 11 de maio de 2011

Longe do mar

Já senti muitas dores. Dores físicas, dores do corpo, dores do coração e dores da alma. Quem aqui não sentiu algum tipo destas dores uma vez na vida né? Mas como dói quando todas elas se misturam!

Sabe quando a gente pega um punhado de areia nas mãos e vê ela escorrendo pelos dedos? É assim que estão escorrendo todos os meus sonhos. Eram sonhos que já tinha, sonhos que construí, sonhos meus, sonhos nossos.

A areia escorreu pra dentro de um buraco bem fundo. Buraco este onde eu também estou. E sabe aquela dor que citei no início do texto? Pois é, esta dor me deixou inerte. Quando o corpo e o coração estão quebrados em pedacinhos fica difícil sair daqui.

Achei que tudo aquilo estava mais perto de mim. Mas simplesmente do dia pra noite aquilo tudo está mais longe do que posso imaginar. Tão longe que já nem enxergo mais a casa, a cama, a cidade e o mar.

É amigos, já viram algum peixe que cai na areia bem longe do mar se salvar?

2 comentários:

Mara disse...

Que texto, Naty! Essas dores nos acompanham pela vida. O difícil é quando nos atacam todas de uma só vez. Mas não te deixe abater, peixinha! Sei que não é fácil, mas potencializa esse sorrisão que lanças para o mundo e faz com que ele te ilumine por dentro. Nossos anjos precisam que estejamos positivas para conseguirem nos iluminar, amiga.
Aprendi isso tb contigo! Ah, e se precisar, sou ótima salva-vidas, não sou boa nadadora, mas se for para socorrer uma amiga, me arrisco, te tiro da areia e te jogo no mar.
Bjo

Marinha disse...

Ai, enviei comentário com login errado #ajuca