quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

...a vida me levar!


Sabe aquela coisa toda de "balanço de fim de ano" e "metas/expectativas pro próximo"? Bem, eu tenho refletido muito desde que meu pai adoeceu. Mas ontem, resolvi tomar um banho pra refrescar as idéias, aliviar o peso, renovar as energias. Tá, tudo bem, eram 2h da manhã quando resolvi fazer isso...hehehe...mas sentindo aquela deliciosa água escorrendo pelo meu corpo cheguei a uma conclusão sobre 2008. Então é aqui na minha "válvula de escape" que irei desabafar, mesmo sabendo que é tanta coisa que vou acabar esquecendo de falar algo...

Duas palavras ressaltam 2008: Aprendizado e decepções. A primeira é consequência da vida, claro assim como a segunda! Na verdade uma leva a outra...Tive inúmeras decepções, amor, trabalho, "amigos". Acredito que os principais aprendizados foram:

Ter amor próprio - ah, essa foi aos trancos e barrancos! Junto com saudade, lágrimas, raiva, afinal sou ser humano, feita de carne, osso e sentimentos! Um dos resultados foram os 8kg que me livrei, pois APRENDI a gostar primeiro de mim, a gostar MAIS de mim antes de qualquer coisa ou pessoa!

Valorizar mais minha família - Sem palavras, nunca me senti tão sozinha e triste como neste ano, mas quem tem uma grande família como a minha supera tudo na vida!

Reconhecer os amigos - Isso mesmo, aprendi a reconhecer os verdadeiros amigos. Aprendi a diferença entre companheiros e amigos. Aprendi a respeitar as diferenças entre nós e aprendi a desculpá-los também.

E como 2008 foi um ano muito INTENSO não posso esquecer de falar que aprendi (e muito) com pessoas que não conhecia, com gente que talvez nunca mais verei na vida e com novas pessoas que hoje fazem parte da minha vida!

A poucas horas deste ano ir embora confesso que sinceramente não espero nada de 2009. Na boa, quebrei tanto a cara, vi meus planos irem por água abaixo que a partir de agora deixarei a vida me levar! Apenas AGRADEÇO por tudo o que tenho. E peço somente duas coisas: Saúde e força!!! O resto? ah...o resto eu me viro como sempre me virei!!!! hahahahahahahahaha...

A todos que se embalam por aqui desejo tudo do bom e do melhor!

Gracias minha mãe Yemanjá!
Odoiá!
P.S: a foto traduz tudo o que to querendo muito fazer! =D

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Clarice também me traduz...

“Sou composta por urgências: minhas alegrias são intensas; minhas tristezas, absolutas. Me entupo de ausências, me esvazio de excessos. Eu não caibo no estreito, eu só vivo nos extremos.”
(Clarice Lispector)

domingo, 28 de dezembro de 2008

A minha amante: Lady Di!


Sou uma formiga assumida! Presidente da Assossiação das Chocolátras Anônimas e mesmo sendo contraditório eu vivo de dieta. Na verdade eu já me acostumei, essa moça, tornou-se uma espécie de amante pra mim, até apelido eu dei: Lady Di. hehehe...Pois é, amante porque nossa relação é tão louca quanto a de dois amantes. Eu sempre traio a Lady Di. com os brigadeiros (afinal quem resiste a um negão??? hahahahah), mas como todo amante, sempre que sinto necessidade corro para os braços da Di!!!

Bueno, no fundo eu sou uma perua (não??) assumida, só não sou mais por falta de tempo ($$$)...heheheh...mas não deixo de ter um bom perfume importado (CH 212 Sexy) e um hidratante bem cheiroso (Victoria Secret). Tudo isso graças a minha madrinha, pessoa simples mas da mais pura elegância (né Dra. Cleomir? heheheh).

E um dos hábitos que tenho é sempre comprar, quando posso, ou pelo menos ler na internet a Claúdia, Nova, Vogue, Marie Clarie, Gloss..etc...Entonces amigaaaas vou deixar pra vcs um texto de uma das últimas Gloss, sobre ela, a Lady Di...

10 coisas que você precisa saber sobre dietas:

1. Passar fome emagrece, mas dá mau hálito.
2. Pensar em comida o dia inteiro - o que acontece em qualquer regime - engorda.
3. Fique atenta: quem as mulheres chama de gorda os homens chamam de gostosa.
4. Um superbarra de chocolate pode ficar cinco segundos na sua boca - e cinco anos na sua cintura.
5. Dieta não é um bom assunto para a paquera. É anti-sexy (a não ser que você seja lésbica).
6. Uma boa tática para perder peso é fingir felicidade por ter ganho três quilinhos. Irritar os outos causa alegria e alegria emagrece.
7. Festas infantis sempre haverá - então, pode deixar oos docinhos para a próxima.
8. Você já gosta de tantas coisas… Para que experimentar essa combinação de brigadeiro com pistache?
9. Apaixonar-se ou sofrer por amor emagrece. Casamento e relações estáveis engordam.
10. Construa uma imagem de pessoa magra. Mesmo que você engorde, ninguém vai perceber.
Força na peruca gurias!
Adiós!

O amor nos deixa surpreender...



A song for your heart,
But when it is quiet,
I know what it means
And I'll carry you home
I'll carry you home

p.s: A música é Carry you home, do James Blunt, mas o título é do Vinicius porque traduz o que aconteceu...


quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Agradeço

Neste natal agradeço. Agradeço a todas dificuldades que tenho na vida, pois só na dor aprendemos a dar mais importância as coisas simples e fundamentais em nossa vida: família e verdadeiros amigos! É nela que aprendemos com a vida. É nela que crescemos a cada instante.

Para todos aqueles que em algum momento cruzaram minha vida, que permaneceram ou não, desejo tudo o que quero para as pessoas que amo: Saúde, paz e alegria!

Mas principalmente agradeço por alguém lá de cima, por meus protetores, por meus anjos, santos, minha mãe Yemanjá me fazerem forte. Agradeço pela força que nem sei da onde vem, mas que tiro de dentro de mim todo dia para poder seguir a diante e viver!

E apesar das dificuldades, apesar deste natal ser mais um momento de aprendizado, agredeço por poder ter ao meu lado nesta noite meu pai, minha mãe e minha dinda!

Luz e saúde a todos!

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Quando um peixe sai do aquário...

tira o lado romântico da música e dá mais ou menos isso:

Dos meus sonhos eu procuro acordar e perseguir meus sonhos
Mas a realidade que vem depois não é bem aquela que planejei


Canção pra você viver mais...

Alguém me contou um dia que essa música a Fernanda Takai fez pro pai dela...não lembro se me contaram, se sonhei isso, ou sei lá...mas se ela realmente fez pro pai dela, me identifico muito....

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Só nas 5 primeiras letras do meu nome

23h30 desta segunda-feira. Meu namorado me liga...

- Vou aí amanhã tá? Por que quarta não terá como.

(Penso: Amanhã? Terça-feira??? Uhm...(desconfiada)...o que ele vai fazer na quarta-feira??? Onde será que vai???)

- Tranquilo. Estarei em casa.

Desligo o telefone e começo a pensar...pensar...pensar...até que resolvo olhar no calendário do computador: "Quarta-feira, 24 de dezembro".

Ahn???? É a véspera de Natal! Nossa que horror, nem tinha me ligado nisso. É tanto problema que me esqueço das coisas. Até porque espírito natalino? natal? rá! só nas 5 primeiras letras do meu nome mesmo!!!!

Rede invisível...

Sozinho no escuro nesse túnel do tempo
Sigo o sinal que me liga à corrente dos sentimentos
Onde se encontra a chave que me devolverá
O sentido das palavras ou uma imagem familiar
Mas há dias em que nada faz sentido
E os sinais que me ligam ao mundo se desligam

Eu sei que uma rede invisível irá me salvar
O impossível me espera do lado de lá
Eu salto pro alto eu vou em frente
De volta pro presente...


Túnel do Tempo
Frejat

Efeito borboleta???



Sexta-feira (depois de quase ter morrido no arrastão da borges...) vi pela segunda vez o filme "Efeito Borboleta". Mesmo sabendo o final (tipo: "não adianta tentar mudar as coisas, o que está escrito pra acontecer vai acontecer mais cedo ou mais tarde"), me permeti "viajar no tempo" como o personagem principal faz. Claro que aquilo é um filme, e o guri voltava no tempo pra mudar as coisas. E por alguns instantes eu pirei nessa idéia: Se eu tivesse como voltar no tempo, o que eu mudaria?


Mudaria muitas coisas! Como por exemplo não ter saído de Passo Fundo. Mas acho que no fundo meu lugar não é lá, não sou nada provinciana como eles. Porém, com toda certeza, eu teria insistido pra que meus pais se cuidassem mais, trabalhassem menos e reconstruissem suas vidas... Ou não seria tão exigente e só pediria pra minha mãe ter me dado um irmão ou irmã.


Mas o fato é que, assim como no filme, eu só queria voltar no tempo porque já sei o futuro, porque já sei qual é o presente. Então deixando minhas maluquices pscianas de lado e fazendo o difícil esforço de voltar a realidade penso que tenho que cuidar mais do meu presente pra poder ter um futuro melhor... Difícil, muito difícíl! Pois aprendi a não fazer mais planos, todas vezes que fiz isso tudo foi por água abaixo...tô mais pra aquela história de "deixar a vida me levar..."

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Me traduz...

O lado bom é que muitas músicas nos traduzem, nesta fase da minha vida essa tem traduzido muito!



"Eu que já não sou assim
Muito de ganhar
Junto às mãos ao meu redor
Faço o melhor que sou capaz
Só pra viver em paz."


O Vencedor
Los Hermanos

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Introspectiva...

Pois é tô assim ultimamente...mas quem também não estaria desse jeito se estivesse no meu lugar? Bom, talvez explique melhor esse comentário quando estiver afim!

O que importa é que: quem eu amo me entende! E apesar das pedras, também sou filha de alguém que fica lá em cima...Então, apesar de ser simples, agradeço por ter falado com o Léo no niver dele, pela Bru ter chegado bem de Londres na quinta, por eu ter reencontrado ela e a Drika e por saber que mesmo "distante" sempre estive no melhor lugar do mundo: no coração dos meus melhores amigos!

Ah...Não posso esquecer da visita de uma querida amiga a minha casa (prefiro nao dizer quem é, mas ela sabe) e milagre (???) também fui "presenteada" pela Globo (que fez eu sentir vontade de entrar na TV e me perder como fiz algumas vezes...)




P.S: pra mim essa foi uma das cenas mais lindas!




*

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

A saudade que gosto de ter!

Amanhã é niver da primeira pessoa mais especial na minha vida depois da minha família. É niver do meu melhor amigo, do meu ator preferido, da minha dor preferida também...é...porque esse manezinho, um pouco gaúcho, hoje tá realizando os NOSSOS sonhos de viver de arte e esta lá em sampa, fazendo cênicas na USP...bueno...mas depois eu conto essa história que começou numa viagem para o Rio onde fomos fazer figuração na malhação....hahahahaha....por enquanto fico com um trecho de uma música que diz muito sobre o que sinto em relação a ele:

"Das lembranças
Que eu trago na vida
Você é a saudade
Que eu gosto de ter
Só assim!
Sinto você bem perto de mim
Outra vez..."

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Right to be wrong...




I've got a right to be wrong
My mistakes will make me strong
I'm stepping out into the great unknown
I'm feeling wings though I've never flown
I've got a mind of my own
I'm flesh and blood to the bone
I'm not made of stone
Got a right to be wrong
So just leave me alone

I've got a right to be wrong
I've been held down too long
I've got to break free
So I can finally breath
I've got a right to be wrong
Got to sing my own song
I might be singing out of key
But it sure feels good to me
Got a right to be wrong
So just leave me alone

You're entitled to your opinion
But it's really my decision
I can't turn back I'm on a mission
If you care don't you dare blur my vision
Let me be all that I can be
Don't smother me with negativity
Whatever's out there waiting for me
I'm going to faced it willingly

I've got a right to be wrong
My mistakes will make me strong
I'm stepping out into the great unknown
I'm feeling wings though I've never flown
I've got a mind of my own
Flesh and blood to the bone
See, I'm not made of stone
I've got a right to be wrong
So just leave me alone

I've got a right to be wrong
I've been held down to long
I've got to break free
So I can finally breath
I've got a right to be wrong
Got to sing my own song
I might be singing out of key
But it sure feels good to me
I've got a right to be wrong
So just leave me alone

domingo, 30 de novembro de 2008

Atirei-me ao mar!!!!!!!!!!!


Pra cantar BEM ALTO porque essa música diz tudo e porque EU MEREÇO!







Brindo a casa
Brindo a vida
Meus amores
Minha família...

Atirei-me ao mar
Mar de gente onde
Eu mergulho sem receio
Mar de gente onde
Eu me sinto por inteiro...

Eu acordo com uma
Ressaca guerra
Explode na cabeça
E eu me rendo
A um milagroso dia...

Essa é a luz
Que eu preciso
Luz que ilumina
Cria e nos dá juízo
Êh! Êh! Êh! Êh!
Essa é a luz
Que eu preciso
Luz que ilumina
Cria e nos dá juízo
Luz que ilumina
Cria e nos dá juízo...

Voltar com a maré
Sem se distrair
Tristeza e pesar
Sem se entregar
Mal, mal vai passar
mal vou me abalar
Mal, mal vai passar
Mal vou me abalar...

Esperando verdades
De criança
Um momento bom como
Voltar com a maré
Sem se distrair
Navegar é preciso se não
A rotina te cansa
Tristeza e pesar
Sem se entregar...

Aiôa ê ê, Aiôa é!
Aiôa ê ê, Aiôa é!

Interesses na Babilônia
Viram nevoeiro
Poços em chamas
Tiram proveito
Passa, passa, passa
Passa, passa
Passageiro
A arte ainda
Se mostra primeiro...

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Ela chegou aqui em casa...

Era assim...bastava o dezembro iniciar e lá, naquela casa onde está grande parte do meu feliz passado, da minha alegre infância, naquela casa verde, da rua Matogrosso 34, onde morava meu avô, tios e tias, que ela era montada. Toda branca, parecia de algodão, as bolas vermelhas eram tão brilhantes que eu me enchergava nelas. Por muitos anos da minha vida, aliás até hoje, ela sempre esteve presente nos meus natais.

Ao lembrar dela recordo da ansiosa espera pelo papai tio Helvio noel, que lá pelos 5 anos eu já insistia em acreditar que ele não era meu tio...
Ao lembrar dela recordo das minhas primas, das brincadeiras, da prenda que tinha que pagar para receber o presente do papai noel que estava sempre com uma varinha na mão...
Também não dá pra esquecer das tias, tios, de meu pai e de minha mãe insistindo: Papai noel, pergunta pra elas se elas se comportaram...hahahahahaha....
E os brinquedos? O primeiro patins, a primeira barbie...e a prancha da melissinha...toda rosa pink....ah eu adorava!!! E a pisicina de plástico, aquela de mil litros! Quem não teve?? Ela ficava no pátio dos fundos, era a alegria das tardes quentes de Passo Fundo. Mas também era a preocupação da sempre preocupada dinda Cleomir: "Olha lá...vão se afogar..."hahahaha...Ficava no mesmo pátio em que eu catava coquinho...é...coquinho mesmo! Neste mesmo pátio também subia nas árvores, para comer uma laranja azedaaaa....ou pegar limão...

Mas quando lembro dela também recordo da mesa farta, cheia de comidas, de doces, bebidas...
Impossível não lembrar que tomavámos sprite achando que era champagne junto com o seu Jerônimo, pois o famoso capitão já não podia mais tomar álcool...
E por falar em champgne também lembro do reveillon...sempre regado de muito samba...A tia Jussara sempre vinha com seus vinis das marchinhas de carnaval, mas também tinha aquela tradicional música: "Adeus ano velho, feliz ano novo...".

Também lembro que meu pai era sempre o responsável pelo porco. Modestia a parte não tem ninguém na família que tempere um porco tão bem quanto ele...Passava da meia noite e lá estava o "Tio Beto" comendo até a cabeça do bicho...e eu...como sempre puxa-saco acompanhava...
Tantas lembranças, tantas histórias, tantas risadas, tantas lágrimas...
Saudades do tio Heitor e sua celebre frase pra mim: "Mas vai ser bonita assim lá na casa do cachorro!"

Hoje ela chegou aqui em casa. Hoje ela chegou em Porto Alegre...assim como eu também cheguei um dia...Foram minhas queridas e amadas tias que me mandaram...e como acredito que nada é por acaso ela chegou pra me trazer essas maravilhosas lembranças. Pra trazer um pouco de alegria pra esta casa que está precisando.Ela chegou para matar um pouquinho da saudade da minha infância, da minha terra. Chegou pra eu valorizar mais a minha MARAVILHOSA FAMÍLIA...Chegou pelas mãos do meu compadre...Chegou pelas mãos de um dos pais da nova geração da família...foi entregue pelo pai da minha afilhada fofa...E o que eu quero pra a Manoela, Isadora, Pietra, João Vittor, Barbara Vittória...para os que virão...para meus futuros filhos...é poder construir uma linda árvore branca de natal!

*

terça-feira, 25 de novembro de 2008

...


"Metade de mim
Agora é assim
De um lado a poesia, o verbo, a saudade
Do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim
E o fim é belo incerto... depende de como você vê
O novo, o credo, a fé que você deposita em você e só"

O Anjo Mais Velho - O Teatro Mágico

sábado, 22 de novembro de 2008

Nada sei

P.S: na verdade acho que só posso errar enquanto o tempo e a minha família me deixar...obrigado por me permitirem tanto, principalmente dinda, pai e mãe, sem esquecer do resto do Passo Fundo...(risos)...

sei lá!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

sei lá
não sei
saco
feliz
triste
triste
feliz
sair
ficar
ligar
não ligar
pensar
fazer
responder
odeioooooooo estes momentos que nem eu me entendo.
ai que vontadeeee de sair correndo.
ai vontade não sei de que!
de tomar um porre?
de ver gente diferente?
de viajar?
de morreeeeeeeer dançando até meus pés doerem como há tempos não faço
será que queria ta na praia?
ou será que queria estar em floripa agora?
ou em são paulo?
ou no rio de janeiro?
vontade de fazer o que?? o que???
estar esperando os 3 toques do teatro para a peça começar?
brigo por besteira com quem não merece...morro de remorso...
descarrego em quem não mereçe...morro de remorso...
tem dias que tô assim...que nem eu me aguento...
procuro uma musica pra ouvir, me enjoo so de olhar a lista delas...
dô um tempo...
volto a escrever aqui...
esse espaço é MEU! MEU! é só aqui que tenho a liberdade de falar, pensar, sonhar de fazer o que estiver afim, mesmo não sabendo o que estou afim!
talvez uma frase que ouvi hoje tb tenha haver comigo:
"vivo sonhando, quando acordo fico de mau humor"
é mau humor?
é TPM?
é saudade?
carência? não! isso tenho certeza que não...
é dengo?
é impaciência?
urghhhhhhh....nem eu sei - só sei que nada sei!
odeio quando tô assim!!!
é muito peixes...bem certinho: um nada para um lado, o outro, para outro
é bem Natália
é bem Vitória
quando elas não se entendem
eu tenho mais é que cair fora!

Tô me guardando pra quando o carnaval chegar: Parte II


Hoje eu vou sambar na pista, você vai de galeria
Quero que você me assista na mais fina companhia
Se você sentir saudade por favor não dê na vista
Bate palma com vontade, faz de conta que é turista


quinta-feira, 20 de novembro de 2008

De perder o fôlego...

O fôlego que uma poesia me faz perder...
Aí vai uma dessas:
*
Da chegada do amor

Elisa Lucinda


Sempre quis um amor
que falasse
que soubesse o que sentisse.
Sempre quis uma amor que elaborasse
Que quando dormisse
ressonasse confiança
no sopro do sono
e trouxesse beijo
no clarão da amanhecice.

Sempre quis um amor
que coubesse no que me disse.
Sempre quis uma meninice
entre menino e senhor
uma cachorrice
onde tanto pudesse a sem-vergonhice
do macho
quanto a sabedoria do sabedor.

Sempre quis um amor cujo
BOM DIA!
morasse na eternidade de encadear os tempos:
passado presente futuro
coisa da mesma embocadura
sabor da mesma golada.
Sempre quis um amor de goleadas
cuja rede complexa
do pano de fundo dos seres
não assustasse.
Sempre quis um amor
que não se incomodasse
quando a poesia da cama me levasse.
Sempre quis uma amor
que não se chateasse
diante das diferenças.

Agora, diante da encomenda
metade de mim rasga afoita
o embrulho
e a outra metade é o
futuro de saber o segredo
que enrola o laço,
é observar
o desenho
do invólucro e compará-lo
com a calma da alma
o seu conteúdo.
Contudo
sempre quis um amor
que me coubesse futuro
e me alternasse em menina e adulto
que ora eu fosse o fácil, o sério
e ora um doce mistério
que ora eu fosse medo-asneira
e ora eu fosse brincadeira
ultra-sonografia do furor,
sempre quis um amor
que sem tensa-corrida-de ocorresse.
Sempre quis um amor
que acontecesse
sem esforço
sem medo da inspiração
por ele acabar.
Sempre quis um amor
de abafar,
(não o caso)
mas cuja demora de ocaso
estivesse imensamente
nas nossas mãos.
Sem senãos.
Sempre quis um amor
com definição de quero
sem o lero-lero da falsa sedução.
Eu sempre disse não
à constituição dos séculos
que diz que o "garantido" amor
é a sua negação.
Sempre quis um amor
que gozasse
e que pouco antes
de chegar a esse céu
se anunciasse.

Sempre quis um amor
que vivesse a felicidade
sem reclamar dela ou disso.
Sempre quis um amor não omisso
e que sua estórias me contasse.
Ah, eu sempre quis um amor que amasse.
*

ZUMBI VALEU!

Em homenagem a este guerreiro e a todos os negros e negras deste país lindo, que dão mais cor ao nosso Brasil! VIVA A NEGRADA!!!

Valeu, Zumbi
O grito forte dos Palmares
Que correu terra, céus e mares
Influenciando a abolição
Zumbi, valeu
Hoje a Vila é Kizomba
É batuque, canto e dança
Jongo e Maracatu
Vem, menininha
Pra dançar o Caxambu

Ô,ô, Ô,ô
Nega mina
Anastácia não se deixou escravizar
Ô,ô
Ô,ô,ô,ô
Clementina, o pagode é o partido popular
Sacerdote ergue a taça
Convocando toda a massa
Neste evento que congraça
Gente de todas as raças
Numa mesma emoção

Esta Kizomba é nossa constituição
Esta Kizomba é nossa constituição

Que magia
Reza, ajeum e Orixá
Tem a força da cultura
Tem a arte e a bravura
E o bom jogo de cintura
Faz valer seus ideais
E a beleza pura dos seus rituais

Vem a Lua de Luanda
Para iluminar a rua
Nossa sede e nossa sede
De que o aparthaid se destrua

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Mas tenho ainda muita coisa pra arrumar...

A "arrumação" começou pelo meu quarto. Arrumei roupas, sapatos, separei o que quero dar...desengavetei caixas, baús... Agora vou começar a organizar fotos, documentos, cartões, lembranças, presentes...coisas que nem sei se vou me lembrar que tinha...Digamos que ele está 50% arrumado...agora falto o resto e a vida!

Enquanto fazia isso fiquei ouvindo música, desde funk, mpb, hip-hop e samba...até que cheguei na minha ídola...que por sinal foi O MELHOR SHOW QUE ASSISTI EM 2008...

É... mas tenho ainda muita coisa pra arrumar
Promessas que me fiz e que ainda não cumpri
Palavras me aguardam o tempo exato pra falar
Coisas minhas, talvez você nem queira ouvir

Já sei olhar o rio por onde a vida passa
Sem me precipitar e nem perder a hora
Escuto no silêncio que há em mim e basta
Outro tempo começou pra mim agora



segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Tô me guardando pra quando o carnaval chegar...

Faltam cerca de 97 dias pro meu aniversário. Faltam cerca de 97 dias para o carnaval. E acho que não é a toa que essa data tão especial pra mim caia bem nesta época. Época de alegria, onde nos permitimos vestir a fantasia, cair na folia e ser feliz. Só eu sei o que tudo isso significa pra mim! Só eu sei o quanto tô esperando pra me acabar na avenida e esquecer dos problemas. Só eu sei o que o carnaval significa pra mim: nascimento, amor, dor, alegria...vida! Pois é...há vinte e um anos atras eu nascia numa noite quente de verão e de folia!

Não preciso que ninguém entenda o porque estou nessa contagem regressiva. Por incrível que parece eu mesma me entendo e sei porque tô assim...Mas a verdade é que o fim de ano já esta tomando conta de mim. Do meu coração, do meu pensamento...

2008 foi (e está sendo) um ano muito intenso pra mim. Pareçe que vivi 10 anos em um só! Os ventos sopraram muito forte desde cedo. Aliás, desde o primeiro dia do ano, que foi tão intenso quanto os outros...hehehe...

E em "tempos de fim de ano" é hora de arrumar a casa, por dentro e por fora...Por isso a partir de agora vou começar essa faxina...E que daqui pra frente os ventos me embalem com mais leveza, amor, saúde e alegria...e se for pra ter vendaval ele que espere pelo carnaval!

Quem me vê sempre parado, distante garante que eu não sei sambar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu tô só vendo, sabendo, sentindo, escutando e não posso falar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu vejo as pernas de louça da moça que passa e não posso pegar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Há quanto tempo desejo seu beijo molhado de maracujá
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
E quem me ofende, humilhando, pisando, pensando que eu vou aturar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
E quem me vê apanhando da vida duvida que eu vá revidar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu vejo a barra do dia surgindo, pedindo pra gente cantar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu tenho tanta alegria, adiada, abafada, quem dera gritar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar

Quando o Carnaval Chegar
Chico Buarque

*OBS: Foto tirada pela minha amiga Liege Freitas, para o site da Prefeitura. E é claro, eu desfilando na Imperatriz!

Cafajestes

Um dos blogs que sempe me embalam é o da minha querida camarada e amiga Soninha. Então hoje peço licença pra essa "escrevedora" e coloco aqui um dos seus textos sobre os cafajestes de nossas vidas...hehehe...

Ah...e só a título de observação: no momento estou livre deles! Tô mais pra última frase do texto...


Cafajestes

Há quem diga que toda a mulher gosta de homem cafajeste. Eu não concordo. Mas toda a mulher há de concordar que, em algum momento de sua vida, teve um cafajeste. E por mais que não gostasse...

O cafajeste normalmente é bonito. E se não é, pelo menos é cheio de charme. É aquele cara que tem várias mulheres. Não se prende a nenhuma. Ama todas. Como se isso fosse possível...


O problema do cafajeste é que ele sabe amar. Sabe fazer uma mulher sentir-se mulher. E, no momento que ele está com ela, faz parecer que é única, que é a melhor, que é a verdadeira amada. Faz isso com todas, a cada momento.

Normalmente o cafajeste é aquele que “tem pegada”, que tira o fôlego, que te faz subir pelas paredes. Mas é, também, aquele que te derruba no dia seguinte, quando desfila com outra e mais outra. Finge que não te vê, te despreza...

Tu te enches do teu orgulho ferido e jura pra ti mesma que nunca mais (N U N C A M A I S), vai querer saber dele... Que mentira deslavada! Ele chega, com aquele jeitinho de menino carente, como um cachorrinho “pidão”, com aquele olharzinho maroto e já era... Ele te leva pra cama, te faz delirar, para no dia seguinte a “cafajestagem” se repetir.

Tudo isso é muito machista, não é? Mas atire a primeira pedra quem nunca caiu na lábia de um cafajeste...

O importante é saber levantar-se da queda.

Às vezes é necessário que a mulher aprenda ser um pouquinho cafajeste, também. Use o cafajeste “que tem pegada boa”, tanto quanto ele.

O amor? Esse vem pra cada um e cada uma. Na hora certa! E na errada, também.


Foto: Armando Dias



*

domingo, 16 de novembro de 2008

Por Chico...

"Sonho de Mulher
Em noite de verão
Por que é que você veio me perder
Quer se divertir
Fingindo me adorar
Ou fingir se enganar
Me amando pra valer
Beije-me outro beijo uma outra vez
Que importa se estes beijos não são meus
Que eu só tenho esta noite de favor
Nos braços de uma atriz"

Trecho de Noite de Verão de Chico Buarque

*

Por Shakeaspeare...



"Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão. No fundo, isto não tem muita importância. O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado."








Sonho de uma noite de verão de William Shakespeare

Foto de Ricardo João Caetano dos Santos Perna

*

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Moça

Fui procurar a letra da música "Moça", que o Caetano canta na novela Três Irmãs, porque me identifiquei e gostei da melodia, e...e...e...heheheh...enfim...Porém, segundo o google a bela letra é do Wando!

Sente aí...

Moça

Moça me espere amanhã levo o meu coração pronto pra te entregar
Moça, moça eu te prometo eu me viro do avesso, só pra te abraçar
Moça eu sei que já não é pura, teu passado é tão forte pode até machucar
Moça, dobre as mangas do tempo jogue o teu sentimento todo em minhas mãos
Eu quero me enrolar nos teus cabelos
abraçar teu corpo inteiro,
morrer de amor,
de amor me perder...

*

O sol bateu na janela do meu quarto...

Confesso que não sou muito fã do Legião Urbana. Mas hoje acordei com o sol batendo na janela do meu quarto e lembrei dessa música deles. Resolvi escutar. Prestei atenção na letra e nunca imaginei que ela tivesse tanto haver com meu momento de vida...



Quando o sol bater
Na janela do teu quarto,
Lembra e vê
Que o caminho é um só,

Porque esperar
Se podemos começar
Tudo de novo?
Agora mesmo,

A humanidade é desumana
Mas ainda temos chance,
O sol nasce pra todos,
Só não sabe quem não quer,

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto,
Lembra e vê
Que o caminho é um só,

Até bem pouco tempo atrás,
Poderíamos mudar o mundo,
Quem roubou nossa coragem?
Tudo é dor,
E toda dor vem do desejo,
De não sentimos dor,

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto,
Lembra e vê
Que o caminho é um só.

*

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Saudade...

"Saudade daquela "vitoria", que vencia e me convencia nos altos da borges...
a que misturava chocolate e sentimentos...
da que fazia dum nada um tudo, em minutos..."

Não. Não fui eu que escrevi isso. Foi um amigo que escreveu isso pra mim. Em poucas palavras ele conseguiu traduzir a saudade que até eu mesma sinto de mim...

*

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Pré-ocupada

Adoro me perder no site do O Teatro Mágico, e hoje, de certa forma me "encontrei" lá...


Pré-ocupada

Havia dois caminhos a seguir. O primeiro, a princípio, não levava a lugar nenhum e o segundo, e principal, levava ao primeiro. Em uma decisão sensata, ela escolheu o segundo. Ele era sim um caminho mais longo, ele era sim um caminho sem volta, ele era assim como qualquer outro, com apenas uma ressalva: o fato de levar ao primeiro, e este, a princípio, não levar a lugar nenhum. E assim ela viveu situações inigualáveis. Tomou chuva sábado a tarde, mas não esqueceu a segunda-feira. Tomou sorvete no inverno mas não esqueceu do último verão. Viveu fantasiando fatos mas não viveu todas as suas fantasias quando elas aconteceram de fato. Tudo por saber que aquele caminho a levaria ao primeiro e o primeiro, a princípio, não a levaria a lugar nenhum. Sua vida passou, suas idéias tornaram-se ultrapassadas e finalmente os dois caminhos se uniram. Mais alguns anos de caminhada e para a sua surpresa, aquele primeiro que, a princípio, não levava a lugar nenhum a levou ao segundo caminho. Ela se viu novamente frente a frente com o começo de tudo; pensou em tudo o que passou e na forma como se passou e concluiu: realmente este primeiro caminho não me leva a lugar nenhum.

(Leonardo Aquino)

obs: quase o nome do meu melhor amigo: Leonardo d´Aquino...heheheh...oh, irônico destido...aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah....em dezembro eles voltam a Porto Alegre e é LÓGICO que eu vou! Nem que seja sozinha como foi da 1a vez!!! iupiiii!!!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Um trevo no jardim!

Sempre acreditei que nada é por acaso. E já que o momento pede ação tô tentando caminhar pra chegar lá... O lado bom disso tudo, apesar do frio na barriga, de ter que vencer a preguiça e tomar coragem, é reencontrar pessoas especiais...

Ontem na palestra do Caco Barcellos na UFRGS encontrei uma ex-colega de TVE e futura jornalista (pois é...mais uma amiga formanda!), que não via há tempo e que é uma flor de especial!

Temos muitas coisas em comum que nem sei explicar racionalmente, além do mesmo signo e da mesma data de nascimento. Pois é, a dona Fernanda é uma psciana do dia 21 de fevereiro também!

Apesar da correria da vida agora tô mais próxima dessa guria pois fui apresentada ao blog dela, e ela ao meu.

Então deixo o convite a todos que fuxicam, olham, acompanham, gostam, odeiam meu blog a também se perderem neste jardim:

http://www.umtrevonojardim.blogspot.com/



Um jardim cheio de poesias, literatura, pensamentos...tipico de uma jornalista e estudante de letras!

Fico com um dos poemas que florescem este jardim e que tem tudo haver com meu momento:

Aprendizado

Do mesmo modo que te abriste à alegria
abre-te agora ao sofrimento
que é fruto dela
e seu avesso ardente.

Do mesmo modo
que da alegria foste
ao fundo
e te perdeste nela
e te achaste
nessa perda
deixa que a dor se exerça agora
sem mentiras
nem desculpas
e em tua carne vaporize
toda ilusão
que a vida só consome
o que a alimenta.

(Ferreira Gullar)


Música que está embalando a flor: Um dia de domingo - Tim Maia e Gal Costa

*

terça-feira, 4 de novembro de 2008

AÇÃO!!!!

Sentada...esperando...angustiada...impaciente...ansiosa e decidida.

Sem ter o que fazer bisbilhotei besteiras pra "aliviar" minha cabeça. Começou pelo orkut, passou pelo site da Luana Piovani (ela já de namorado novo viu? hahahahah) e parei no horóscopo...

Até eu pensei comigo mesma: "horóscopo? que besteira mesmo. Nunca leio isso!!!"


ha . ha . ha .


ironia do destino, ou destino irônico, o danado resolveu justamente hoje, mais precisamente naquele instante falar a verdade...com exatidão...quase que tanta exatidão como um mais um são dois!!!



Peixes (19/02 a 19/03) por Eunice Ferrari
Terça, 04 de Novembro de 2008

» O novo pede passagem e você pode neste momento dar os passos necessários e sair de um lugar indefinido e incerto que a vida colocou você durante este ano. Dê o passo necessário sem medo de errar, pois esse medo faz com que você paralise e não tome nenhuma atitude. O momento pede ação.



aiii que frio na barriga, mas vamo embora, liga o foda-se, coragem, a vida é quase uma peça de teatro...então...


LUZES

CÂMERA

AÇÃO!!!!!!!!!!!!!!!


.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Dos tempos de Poliana...

Pra matar as saudades do tempo em que eu sonhava e acreditava que o meu sonho mais profundo, aquele que está lá no fuuundo do meu coração e que nunca saiu de lá, que me fazia sonhar mais e mais, que me fazia feliz, que me libertava, que me envolvia...

"Natália- Casa cheia. Não só em sua formas voluptosas. Boca carnuda e seios fartos, mas na sua voz forte e sua disciplina que contagia a todos e a mim. É o otimismo de uma Poliana."

Gabriela Linhares (atriz e diretora)




saudade
saudades
saudades!!!!









Beatriz

Olha Será que ela é moça
Será que ela é triste
Será que é o contrário
Será que é pintura
O rosto da atriz
Se ela dança no sétimo céu
Se ela acredita que é outro país
E se ela só decora o seu papel
E se eu pudesse entrar na sua vida

Olha
Será que é de louça
Será que é de éter
Será que é loucura
Será que é cenário
A casa da atriz
Se ela mora num arranha-céu
E se as paredes são feitas de giz
E se ela chora num quarto de hotel
E se eu pudesse entrar na sua vida
Sim, me leva para sempre, Beatriz
Me ensina a não andar com os pés no chão
Para sempre é sempre por um triz
Ah, diz quantos desastres tem na minha mão
Diz se é perigoso a gente ser feliz

Olha
Será que é uma estrela
Será que é mentira
Será que é comédia
Será que é
vida da atriz
Se ela um dia despencar do céu
E se os pagantes exigirem bis
E se um arcanjo passar o chapéu
E se eu pudesse entrar na sua vida



*

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Só a vida ensina...

Agora são 4h21 da madrugada de quinta pra sexta. As horas passam se arrastando com muita dor dentro do quarto deste hospital. Não, não sou eu novamente que estou internada. Não, não é a minha mãe novamente que está internada por causa do câncer. Dessa vez esse tal de câncer resolveu entrar na minha vida novamente através do meu pai.

Já é o quinto dia nesse corre-corre de casa-hospital, hospital-casa. E justamente por eu ter passado tudo isso com minha mãe sei que é só o começo de uma longa luta...

Passaram-se 21 anos para que eu encontra-se a pessoa que melhor me descreveu em poucas palavras. Sou filha de Yemanjá e a dona Glória (não vem ao caso quem ela é) disse: "Além de ser chorona, tu és que nem o mar...se revolta...". Pura verdade!

Não digo que agora estou revoltada, confesso que inúmeraaaaaaaaaaaas vezes já me revoltei, principalmente com a família e o trabalho. Não suporto ver injustiça. Não me sinto bem vendo as coisas dando erradas.

Não tô revoltada porque penso não ser por acaso que em menos de um ano eu esteja enfrentando tudo isso novamente. Meu pai desempregado, minha mãe aposentada e eu bem pouco tempo atras brincando de "faz de conta"...

Como diria Cartola: "O mundo é um moinho...vai triturar teus SONHOS tão mesquinhos...Vai reduzir as ILUSÕES a pó!"

Só não "caio" na revolta de pensar que são 4h da manhã de uma quinta-feira, que se fosse "normal" eu estaria dentro do raio de uma festa com meus pais preocupados em casa por causa da hora, porque tenho que ser muito FORTE e ter muita CALMA pra ajudar minha família!

Aliás, quem me conheçe se admiraria de ver a calma em que ando. No mais nem eu estou entendendo da onde tenho forças e fé...muita fé!!! Na verdade só tenho a agredecer ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE a minha grande e amada FAMÍLIA. Todos meus tios, tias e primos estão sendo muito importantes na minha vida!! Ah também não posso deixar de agradecer ao coitado do meu namorado que me aguenta e me da colo.

Hoje tenho a certeza que o poço pode ser beeeeem fundo mas eles estarão lá!
Hoje, mais do que nunca, aprendi que SÓ A VIDA ENSINA!

Embora eu tenha apenas 21 anos, muito a aprender ainda, afirmo de boca cheia que também já aprendi bastante! E me permito em deixar um conselho a todos que me conhecem: VIVA CADA INSTANTE COMO SE FOSSE O ÚLTIMO E NÃO RECLAMEM DE BARRIGA CHEIA!

Saúde a todos!!! (porque ela é o MAIS importante!)

Hasta...

domingo, 26 de outubro de 2008

Domingo de chuva. Chove muito em Porto Alegre. Nenhum raiozinho de sol sai lá fora. É a natureza que se manifesta. É a natureza que parece estar em sintonia com meus sentimentos...

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Músicas...



Que bom que existem músicas que dizem tudo...


Sem lhe conhecer
Senti uma vontade louca de querer você
Nem sempre se entende as loucuras de uma paixão
Tem jeito não
Olha pra mim
Faz tempo que meu coração não bate assim
Não faz assim, me diz seu nome
Não me negue a vontade de sonhar
De sonhar os meus sonhos com você
Despertando pro seu adormecer
Seria bom demais
Que bem me faz, você.



Loucuras de uma paixão
Jorge Aragão





terça-feira, 21 de outubro de 2008

Notícias e desiguldades

Hoje vou utilizar do meu blog para falar algo que me incomoda muito, aliás, algo não, várias coisas...

Todos gaúchos devem ter visto ou ouvido falar do caso do jovem Igor, que com apenas 18 anos, foi vítima de uma bala perdida e infelizmente veio a falecer. Primeiro gostaria de falar que eu me sensibilizo, e muito, com a perda que a família e os amigos dele tiveram. Também já perdi jovens e queridos amigos. Mas o que eu quero falar aqui é da desigualdade social que também se reflete em diversos lugares, e como não poderia ser diferente, também está no jornalismo.

A matéria sobre a morte do Igor ocupa no jornal Zero Hora desta terça-feira (21), praticamente uma pagína inteira. Ela está bem aprofundada, tem falas de amigos, reconstitui como ocorreu o fato... Ai você que está lendo tudo isso que estou escrevendo deve ta se perguntando: "Tá Natália, e daí? o que tem isso?"

Negócio é o seguinte: Quando morre o filho da faxineira da periferia da capital ele não é notícia de jornal (irônico mas rimou!). É sempre assim, quando a "injustiça" acontece com alguem da classe média da cidade, ou num bairro da classe média (porque o incidente ocorreu na Av. Beira Rio, Zona Sul de Porto Alegre), a notícia se transforma de uma simples notinha de 5 linha no jornal para uma grande matéria. Aliás, matéria de jornal, tv e rádio!

Pode conferir! Na mesma página 36, que tem a notícia da morte dele, tem duas notinhas minúsculas de outros dois casos na Região Metropolitana. Outra coisa que me indigna mais ainda é o TÍTULO DA MATÉRIA. Veja só: "Comoção por morte de jovem". Na verdade as mortes das outras centenas de jovens que acontecem todo dia não comovem os leitores da Zero Hora, que por sua vez, não comovem o pauteiro e o editor-chefe!

Por falar em pauta nem vou entrar no caso da menina Eloá. A imprensa tem que cumprir o seu papel de dar a notícia, é nosso dever, nosso trabalho. Mas não é trabalho da imprensa querer ser a JUSTIÇA BRASILEIRA. É sempre assim, caso Isabel, caso Suzane Richthofen... E lá vem, principalmente a dona Globo, com seu jornalismo nada imparcial (se bem que pra mim imparcialidade no jornalismo é um mito!) querer julgar as coisas... Sem contar que a super repercurssão traz conseqüências, porque agora virou moda matar namorada(o) ou seqüestrar. Viram aquele outro caso que aconteceu em outra cidade de São Paulo?

Não tô querendo que as mortes que acontecem nos outros lugares da cidade ou do Brasil sejam matérias de uma página no jornal. Ou de mais de 2 minutos na TV. O que estou querendo falar aqui é que a desigualdade é algo gritante e está bem debaixo de nosso nariz!

Cresci vendo uma defensora pública trabalhar com todas as classes, cores, religiões. Ouvindo que todos tem o direito de serem defendidos. Cresci vendo essas merdas (me desculpem o termo, mas pra mim é merda mesmo!) de notícias martelando na minha cabeça. E acredito que no fundo o que me levou a escolher o jornalismo foi uma misturada disso tudo.

Não sei se será este o tipo de jornalismo que vou querer trabalhar quando me formar, mas tem uma frase do Dalai Lama que diz tudo: "Seja a mudança que você quer por mundo". Estas são algumas das razões de porque eu também milito e acredito numa sociedade diferente.

A campanha me mostrou isso. Conheci um Rubem Berta bem diferente daquele que o Diário Gaúcho me mostrava. Tá, eu sei que sou suspeita pra falar desse Bairro...hehehe... Lá tem violência sim, tem tráfico, tem assalto, mas tem uma gente trabalhadora, que é a cara, o jeito de todo Brasileiro! Que luta pra poder dar o melhor pros seus filhos, e que produz muita, muita cultura e esporte! E tenho certeza que deve ser assim nas várias periferias deste Brasil.

Mas infelizmente esse outro lado da história não vende jornal. E essas diversas coisas continuam me indignando. Encerro com outra frase, agora do MV Bill, que é mais ou menos assim: "Nunca vi periferia ser cartão postal".



sábado, 11 de outubro de 2008

O embalo do vento me levar...

Não sei por onde e nem como começar a escrever. E não vou. Em breve rabisco algo por aqui...

A verdade é que estes últimos dias estão servindo para colocar a cabeça no lugar, cuidar da casa, estar mais perto da minha maravilhosa família, rever os antigos e bons amigos, rever meus sonhos, planos, projetos e decidir meu futuro...

Tô deixando o embalo do vento me levar...

Fico com a cópia de uma frase que duas grandes mulheres (Helenira e Soninha) tem usado: "Não grite sua felicidade, pois a inveja tem sono leve".

Não gritarei, deixe ela dormir, pero ahora es mi tiempo!!!!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Pode chegar que a festa vai é começar agora!

Quase um mês sem escrever aqui. Confesso que senti falta. Afinal sem o teatro e minha terapia é este mundo blogueiro que tem sido minha válvula de escape (claro sem esquecer do BOOOM e velho CHOCOLATE)...hehehe...

Nestes vinte e poucos dias sem escrever muita coisa aconteceu... Mas hoje tô fazendo questão de escrever pois para mim é uma data muito especial. Há dois anos atras neste mesmo dia eu estava na mesma situação: aflita com as eleições e com os problemas da vida.

Nunca esqueço: Fevereiro de 2006 indo para um curso de formação e plenária estadual da UJS (pra variar), em Montenegro que recebi a ligação da minha mãe no meio da viagem:

"- Pois é, a Dra. Andréia entregou o resultado dos exames. Tô com um pequeno tumor no pulmão."

Claro que na hora não caiu a ficha. O que caiu foi só uma lágrima. Eu, a mais nova de casa, fui a última a ter a ficha caída. Na verdade a minha só caiu quando as longas madeichas loiras da dona Arminda encheram a roupa de cama na manhã de um sábado.

E foi ali, umas duas semanas antes do meu aniversário, seguindo com a UJS que comecei a me preparar para uma batalha. Mas essa batalha dá um livro, e será um livro, porque eu prometi a mim mesma que ainda vou escrever essa história.

Mas o setembro de 2006 "não estava no script". Anciosa com a cobertura das eleições que eu era responsável por toda produção na TVE, anciosa com a campanha da Manuela deputada federal, anciosa com a cirurgia de minha mãe. E foi no final de semana anterior ao da cirurgia, numa sexta-feira, festa de aniversário da UJS e da dona Gisele, reta final das eleições que eu fui internada com uma grave trombose na perna. Eu não conseguia acreditar: ia ficar sem ir a festa que tanto corri pra organizar junto da galera, ia ficar sem cobrir "o dia D" das eleições, sem votar pela primeira vez e sem poder estar do lado da minha mãe!!!

E foi assim mesmo... Eu no quarto de um hospital e ela em outro quarto, de outro hospital. Meu pai correndo feito um louco, minha madrinha sem dormir. O que prevaleceu foi a união da minha grandeee família e o apoio dos meus maravilhosos e verdadeiros amigos!!

Dois anos se passaram, no meio de tudo isso veio outro tumor na cabeça, ficou uma seqüela na minha perna, a Manu se elegeu (e ainda arrumou um brinde pra mim...heheeh). Hoje, curada do câncer a dona Arminda já tem novos cabelos, eu um novo brinde, e todo mundo que desde 2006 já fazia parte desta história tem um novo e lindo desafio: eleger manuela prefeita!

A diferença é que a festa da vitória para mim começa HOJE! E só vai parar no dia 05 de outubro. Porque desta vez eu não vou ter que ficar aguentando a UJS inteira me ligando do meio da festa da vitória enquanto eu tava numa cama de hospital...hahahaha... Dessa vez vai estar TODA MINHA FAMÍLIA E TODA A UJS JUNTAS comemorando a nossa ida para o 2º turno!!!

E como O homem falou...PODE CHEGAR QUE A FESTA VAI É COMEGAR AGORA!!!

Embalos marcantes:





1) Dona Arminda careca e Paulinha "duduti"
2) TVE - Grandes jornalistas (Adriana Paranhos e Marise Fetter) com suas melhores produtoras (Eu e Vanessa)
3) As únicas gremistas da casa
4) Redação da TVE e sua gente colorida
5) Minha primeira plenária da UJS...hahaha...olha a Gisele do meu lado e a Manu lá no canto em baixo a direita!

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

DESABAFO: A minha história!

Assumo, ando mais ou menos. Mais pra menos do que pra mais. Embora a vida me faça acreditar que a gente pode mais eu não estou nada "mais". Sei que são fases e nada além de malditas fases. Mas que nem diria Chico, pra mim, "a coisa aqui tá preta". Há duas semanas meu pai perdeu o emprego. E não é só um emprego, é uma história, a minha história!

Parece que era ontem que eu andava de motoca pelos prédios da Cohab de Passo Fundo. Ou que eu ficava em frente a tv imitando a xuxa (que hoje acho rídicula por sinal). Parece que era ontem que eu ficava brincando no restaurante dos meus pais. Ou melhor, parece que era ontem que a combi me largava na Rua Mato Grosso, número 34 e eu ia correndo para os braços do seu Jerônimo meu avô. Não esqueço também de quando catava coquinho no fundo da casa dele, dos churrascos de família na garagem, de subir nas árvores para pegar limão ou laranja (não lembro qual era a fruta). Mas lembro que eu acreditava no papai noel, e mesmo sabendo que ele era o tio Elvio, eu e minhas primas nos arrumavámos todas noites de natal para esperar ele, pagar uma prenda e ganhar os presentes. Lembro também que toda vez que minha mãe me levava junto para ver meu pai na fábrica da Brahma um portão cinza gigante se abria e lá estava ele.

Não lembro da primeira demissão. Não lembro de como e quando a Brahma faliu. Mas lembro quando viemos pra Porto Alegre morar com a minha madrinha. Deixamos nosso apartamento na Cohab e viemos. O apartamento de Porto Alegre era no centro, e eu, que tinha meu quarto todo rosa, todo fofo, só meu, comecei a dividir a cama com meus pais, em seguida com minha dinda. Aliás, minha mãe, meu pai, e eu começamos a dividir as nossas vidas com a minha madrinha. Ficou pra trás a certeza de que todo mês de julho eu sempre teria as melhores férias do mundo em Passo Fundo, com minhas primas e minha família, e de que quando chegasse o verão o capitão Jerônimo me levaria para algum apartamento ou casa em Capão da Canoa. Ficou a saudade de morar na minha própria casa, de ter meu próprio quarto, das brincadeiras de criança de cidade pequena e de várias outras coisas. Tudo isso porque em Porto Alegre começaríamos uma outra etapa de nossas vidas, porque era certo que meu pai iria trabalhar na Secretaria da Agricultura.

Não foi fácil me adaptar a um apartamento, não poder brincar de pé no chão na rua até o anoitecer quando a dinda Iara saia da janela pra gritar “tá na hora de entrar Natália”. Não foi facíl estudar com gente que falava “seti, redi, leiti”, enquanto eu falava “setE, redE, leitE”. Lá eu brincava de esconde -esconde, de casinha. Aqui eu aprendi a arrumar os cabelos da barbie, a ter mochila de rodinhas e olhar tv antes de ir a aula.

Passaram-se mais de 15 anos. Meu pai na secretaria, minha mãe na defensoria pública, eu tive que ir pro Colégio Rosário. E tudo aconteceu de trás pra frente: eu resolvi sair do Rosário porque não aguentava mais aquele mundinho de meus colegas. Aquela não era a minha realidade. Eu sempre tive tudo, mas não fui criada assim. Nunca quis ir pra Bariloche ou Porto Seguro. Entrei pro Teatro e resolvi mudar de colégio. No meio da faculdade surge o câncer da minha mãe, lá se vai a defensoria pública. E como não bastasse, dois anos depois uma nova surpresa: a demissão, sem aviso prévio, sem nada, do meu pai.

Agora dá vontade de perguntar pra esse raio de vida pq não pode ser ao contrário? Pq ele não foi demitido, eu volto a ser criança, a gente volta pra passo fundo...etc...etc... Por que justamente o maior motivo que fez toda nossa vida mudar está me deixando com cabelos brancos com apenas 21 anos, com noites de insônia, desânimo e mau-humor. Não só eu, mas conheço muito bem minha mãe e meu pai, e sei da preocupação deles. Eu sei da união da minha família e sei que não vamos ficar na merda sozinhos. Mas odeio não saber o que fazer!


Vilarejo - Marisa Monte

Há um vilarejo ali
Onde areja um vento bom
Na varanda, quem descansa
Vê o horizonte deitar no chão

Pra acalmar o coração
Lá o mundo tem razão
Terra de heróis, lares de mãe
Paraiso se mudou para lá

Por cima das casas, cal
Frutas em qualquer quintal
Peitos fartos, filhos fortes
Sonho semeando o mundo real

Toda gente cabe lá
Palestina, Shangri-lá

Vem andar e voa
Vem andar e voa
Vem andar e voa
Lá o tempo espera

Lá é primavera
Portas e janelas ficam sempre abertas
Pra sorte entrar

Em todas as mesas, pão
Flores enfeitando
Os caminhos, os vestidos, os destinos
E essa canção

Tem um verdadeiro amor
Para quando você for

*

domingo, 10 de agosto de 2008

Ligando o foda-se

Há dias sem tempo e paciência pra escrever...

O ruim da semana foi a TPM, o mau humor e a carência. O mais legal, lindo e maravilho foi O teatro mágico! Nossa os caras são bom demais! Há tempos não assistia a algo que me deixasse sem ar, sem palavras! Também fazia tempo em que eu não me curtia. É! Fazia tempo que não pensava de fato só em mim. Comprei meu ingresso semanas antes, sem combinar com ninguém, e fui sozinha pro show. (Tava contanto os dias pra essa aprsentação, tava há tempos querendo ver eles). Pontos pra mim que preciso recuperar minha auto-estima e independência. Tô muito feliz. Tô ligando o meu foda-se de novo!

Resultado? Acordei na sexta-feira muito disposta! Agora tô contando os dias pra campanha acabar, quero canalizar essa motivação pra eleger a Gisele e a Manu, e depois de outubro voltar pro teatro! CHEGA! Vou fazer o que me faz bem!


Pra fechar a semana me acabei no show do Monobloco. Putz samba, maracatu, frevo, etc, etc, etc...que loucura. Como é bom esquecer tudo e morrer dançando! Antes do show deles teve a Mart´nália. Outro show maravilhoso! A mulher comanda no palco! Toca samba de verdade, me fez até chorar (embora isso não estivesse no script). E tocou a minha música, título dest blogo - "sonho meu".



Por falar em script agora só tá faltando eu matar as saudades de ir ao cinema. Que vergonha, mais de um ano sem ir...bueno, já tenho programa pra próxima folguinha que aparecer na agenda!


Resumo dos últimos dias:


O teatro mágico - Camarada D´agua + O anjo mais velho

Martnália - Cabide + Pretinhosidade + Chega

Mobloco - Eu quero é botar meu bloco na rua



.

domingo, 27 de julho de 2008

?

Com o teatro aprendi que a fala só complementa a ação. Nas aulas de fotografia aprendi o significado do ditado: "uma imagem fala mais que mil palavras".

Então...


quinta-feira, 24 de julho de 2008

O menino da praça

Era uma tarde de segunda-feira com sol, o inverno já havia se despedido da cidade, mas um vento frio ainda soprava de leve. Sentamos numa praça ao lado de uma avenida movimentada. E depois do cinema, no desenrolar das horas antes de partir, o menino abriu seu livro, cheio de poemas e músicas.

Essas poucas horas fizeram com que conhecesse um lado do menino que somente eu conheço. E que ninguem mais conheceu dali pra frente. Seus sonhos, suas loucuras, seu sorriso e sua cor ficaram marcadas no banco daquela praça. Toda vez que passo por lá encontro um pedaço dele e uma parte desta história.


Hoje o menino cresceu, uns dizem que virou sambista, outros dizem que ele ainda não cresceu. A verdade é que ele conheceu o samba, também conheceu a umbanda, e saiu por aí a se procurar. No meio de seu caminho colheu muitos frutos, tropeçou em várias pedras, machucou e foi machucado, viveu.


Difícil mesmo é encontrar o verdadeiro menino da praça nos dias de hoje. A dor ficou e o amor passou. De tudo fica apenas uma certeza, a de que naquela tarde eu realmente o conheci.

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Meu aquário...


Tô roubando essa foto de um dos blogs por onde me perco. Além dela ser linda traduz um pouco de como tenho me sentido a maioria das vezes. A loucurada da campanha, ou melhor, da política, me deixa literalmente de cabeça pra baixo. O bom é que a cada dia que passa tenho percebido que não sou nada racional. Enrolada eu sempre fui (como a moça da foto), mas ultimamente a minha enrolação começa por uma agenda, passa pelos meus desejos e termina enrolada nos meus próprios rolos, que me enrolam.
Na verdade eu queria muito é estar vivendo o outro lado desta foto. Queria esta suspensa no ar. Sentindo um friozinho na barriga de estar brincando com o tecido. Queria estar sentindo a leveza de ficar assim...solta. Pois é, sou bem mais sentimento, como uma boa psciana. E por favor, não me tirem do meu aquário
P.S: Músicas que traduzem os últimos dias

domingo, 20 de julho de 2008

Extra! Extra! O Teatro Mágico vem aí!!!



Ahhhhhhhhhh. Sim, estou enlouquecida! Pois acabo de descobrir que vai ter show do "O Teatro Mágico" no Opinião, no dia 07 de agosto!


Esse grupo é maravilhoso! O trabalho deles é lindo! É um grande sarau, com poesias, músicas, esquetes teatrais, performances circenses. Nem acredito. Fiquei muito feliz com a notícia. Tô falando, ainda vou chutar tudo e viver só disso: da ARTE!!! Vale a pena conferir o trabalho deles. É sentimento, é peste, é arte! Não tem palavra que traduza. Pra quem ainda não conhece vou deixar aqui a letra de uma música deles que me toca muito, muito. Se chama "O Anjo Mais Velho". Procurem por eles no Youtube. Vale a pena. E quem quiser ir no show só me dá um toque!



"O dia mente a cor da noite
E o diamante a cor dos olhos

Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"


Enquanto houver você do outro lado

Aqui do outro eu consigo me orientar

A cena repete a cena se inverte

Enchendo a minh'alma d'aquilo que outrora eu deixei de acreditar

Tua palavra, tua história

Tua verdade fazendo escola

E tua ausência fazendo silêncio em todo lugar

Metade de mim

Agora é assim

De um lado a poesia, o verbo, a saudade

Do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim

E o fim é belo incerto... depende de como você vê

O novo, o credo, a fé que você deposita em você e só

Só enquanto eu respirar

Vou me lembrar de você

Só enquanto eu respirar
P.S: já aviso...é certo que vou chorar vendo esse show! rsrsrsrs....

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Somente nós sentiremos SAUDADE!




Ai ai ai...despedidas são horrivéis. Ainda mais quando são de melhores amigas. Impossível não se passar um filme pela cabeça. As lembranças e as histórias de vários momentos. Sorrisos, lágrimas, comilanças, praia, amores e (claro) dores!



Com certeza nesta despedida da Bruna, a primeira coisa que eu, ela e a Drika, iremos lembrar é de um verão de 2004. Essa história a gente vai fazer QUESTÃO de contar para nossos filhos. A gente fez aquelas coisas de filme sabe?Montar uma trouxinha com a própria roupa e colocar de baixo do lençol pra parecer que a gente tava ali. E, literalmente, pular a janela para fugir de casa para uma balada! hahahahaha COISA BEM BOA!



A gente fez isso. Fugiu de casa numa noite de janeiro. Pulamos a janela do quarto, pegamos uma lotação e fomos de Jurerê Internacional para a noite de Canasvieiras. Três gurias loucas. Na verdade loucas pra curtir a noite. E curtirmos muito! Dançamos muito. Bebemos muito. Nossa, até hoje não posso ver "sex on the beach" ou "piña colada". E os argentinos então? nem se fala disso...heheheeh....


Pois é...essa é apenas uma das muitas histórias que tenho com minhas melhores amigas. Saudade dos "dias gordos" na casa da Drika. De passar o dia inteiro de pijama, só comendo e falando besteira. Saudade das festas. Das dores de cotovelo. Dos sorrisos e abraços. Amo muito vocês negas. E faço questão de publicar isso aqui. A gente cresceu e a vida foi nos colocando em caminhos diferentes, cobrando responsabilidades e mesmo com toda correria sempre arrumamos um tempinho pra gente. Mas agora chegou o momento da nossa flor ir colorir outro país. Sentiremos muita saudade. E SOMENTE NÓS SENTIREMOS SAUDADE. Por que essa palavra só existe no português! Lá na Inglaterra não tem ela não, viu Bruna?




BOA SORTE NEGA!


Se não nos encontrarmos por lá, estarei aqui, de braços e coração sempre abertos pra te esperar.

AMO-TE!



P.S: não sei porque enquanto escrevia isso, além das lágrimas me veio a música White Flag, da Dido. aaaaaaaaaah e Bruna....eu ainda estou com o teu livro "Diário de Briget Jones"!!!!






segunda-feira, 14 de julho de 2008

Domingo de sol, segunda-feira de alecrim...

Depois de um final de semana de muito trabalho, sem festas (nem acredito!), e de tempo bom, com sol e calor em Porto Alegre, meu domigo teve, além do nosso belo pôr-do-sol, um entardecer divertido, leve e gostoso!

Ainda vou escrever um livro quando essa campanha terminar. E acredito que seu título será "Confusões e vitória". Pois é, estou virando mestre em confusões, acho que vou até abrir uma agência só especializada nisso...hehe... Já o "vitória" é porque a cada dia que passa acredito mais que tudo vai dar certo!

Alecrim

Segunda-feira, já eram depois das 22h, nós numa daquelas longas e loucas reuniões da campanha (claro, num bar na cidade baixa)...hehehe...Eis que a senhora dos cabelos lilás chega em nossa mesa com sua sacola de incensos. Todos ali desfrutaram das boas energias que ela transmite, e assim como eu, ouviram seus sábios conselhos. Pior de tudo é que ela acertou direitinho no que me disse, além de ter me deixado encucada com algumas coisas. Mas, se 50% das coisas que ela me falou forem verdade (e eu to botando fé), estou feliz!

Engraçado que ela me indicou o incenso de alecrim. Adorei o cheiro. Alecrim me faz lembrar meu melhor amigo. Nossa que saudade do Léo. Lembrei dele, feliz, cantando numa de nossas aulas de teatro: "alecrim, alecrim dourado, que nasceu no campo pra ser semeado..."

Mais "engraçado ainda" é que o incenso de alecrim diz o seguinte: protege de magia, acalma e cura. Uhm...não é uma simples proteção...é proteção de MAGIA. Ótimo para eu não perder a poesia da vida no meio de alguns problemas. Cura - É, realmente algumas coisas, tanto sentimentalmente como fisicamente ainda precisam ser curadas. Acalma - é tudo que preciso todos dias!


P.S: Ah...essa foto que acompanha o texto traduz um pouco de como me senti nos dois últimos dias!

sábado, 12 de julho de 2008

Quero dançar com você...


Mais uma noite de sábado que estou de pijama em casa. Nem acredito. São 23h53. Mas sinceramente? Meu aquário está tão gostoso que nem tô querendo sair dele esta noite.

Os ventos continuam intensos, extremamente intensos. Embora eu saiba que daqui um pouco vai dar temporal vou curtir enquanto eles estão embalando a flor. Também porque a flor mereçe ser embalada, merece estar colorida, merece estar feliz.


Quero isso,

mais aquilo

mais isto


Agora não quero isto

não quero aquilo

e não quero isso


Agora quero você

e mais você,

e mais você

e você também


Vem faz uma graça

Vem passar o tempo

Vem fazer de conta

Vem que de ti

eu também dou conta!


Passa um, passa dois

Passa três, quatro

No vai e vem

Voltei pro teu abraço

Não vem e quero passar dois

Vem e quero passo quatro

Voltei e quero passo três


Agora quero você

Quero dançar com você


Músicas que embalaram a flor esta noite:

- Amado (Vanessa da Mata)

- Vermelho (Vanessa da Mata)

- Ainda Bem (Vanessa da Mata)

- Tem que ser você (Victor e Léo)

- Medo de Amar (Claus e Vanessa)

- Mulher sem razão (Adriana Calcanhoto)